Semana no Esporte

Volta às páginas
Sim, a coluna de esportes cumpriu um tempo de quarentena por absoluta falta de notícias da área. O esporte, assim como o mundo, parou por ao menos 100 dias e, talvez, ainda demore para que tudo se normalize. O coronavírus alterou a rotina de todos e há quem diga que nada voltará ao que era antes. E eu acredito, porque novas formas de vida, procedimentos terão que ser adotados e a sociedade como um todo precisará se adaptar em todas as áreas. Este colunista está feliz em poder voltar ocupar este espaço para escrever sobre esporte, em especial, futebol em geral. E espero seguir contando com a leitura e o acompanhamento de todos vocês.

A volta do futebol
Muito se disse neste período de mais de 100 dias de paralisação do futebol profissional. Mais do que a falta que ele faz diariamente na televisão ou nas conversas do torcedor, ele é um negócio. E isso fica cada vez mais comprovado agora, em que se força situações para sua volta – vide Rio de Janeiro – só com fins financeiros. Milhões estão em jogo. E cada dia em que fica parado, o cofre de um clube profissional da Série A do Campeonato Brasileiro, deixa de arrecadar um grande valor financeiro.

Aliás
O esporte, como um todo teve um abalo com a pandemia do coronavírus. Vejam como exemplo, a Olimpíada do Japão, que se realizaria este ano. Outro evento esportivo que envolve bilhões, praticamente todos os países do mundo envolvidos, muita grana em jogo, atletas que se dedicam anos para chegarem ao ápice e agora, tiveram seu ciclo modificado em função desta alteração. O mundo todo, em todos os segmentos perdeu muito em termos financeiros com este surto de vírus, onde ainda não se vislumbra uma solução a curto e médio prazo.

Adaptações
Por isso, cada vez mais é necessário que a sociedade em todos os setores saiba se adaptar, por mais difícil que seja. Talvez a nossa geração – estou na faixa dos 40 para 50 anos – tenha sido a que mais sofreu com adaptações ao longo do tempo. Senão vejamos, mudanças significativas no mundo do trabalho, como a informatização, o fechamento de postos de trabalho, a diminuição de vagas, o acúmulo de funções, o achatamento dos salários, os vários planos econômicos do Governo. A pandemia será somente mais um desafio que esta geração terá que superar na base da adaptação.

Pensando grande
O FC Rio Pardinho está pensando grande. Em meio à pandemia do coronavírus e já com a vaga na decisão da Lifasc – Copa Lisaruth – assegurada, a diretoria resolveu investir em estrutura no seu campo. Primeiro, construiu uma arquibancada de duas cabines de rádio, além de fazer outras melhorias no campo. Agora, pensa em instalar uma estrutura para iluminar a sua praça esportiva, capaz de receber jogos de futebol à noite, além de proporcionar à comunidade a prática esportiva noturna. E a diretoria, capitaneada por Edson Koeppe, Marquinhos e Darcilo Gressler, Hardi Lucio Panke, entre outros, ainda tem novas ideias. Vem mais por aí. Parabéns pela iniciativa e que sirva de exemplo para outros clubes.
Uma ótima semana a todos! E tomem todos os cuidados necessários.

Fechar Menu